quarta-feira, 18 de março de 2015

# 51


Fotografado no Porto, há bastante tempo, por Gil Coelho que, agora, o repescou dos seus arquivos e o envia com o texto que aqui se reproduz:

“Tardes cinzentas, casas velhas, ruas tortas.
Por onde passo, atrás de mim há memórias
De encontros, de segredos, de suspiros e de histórias…
De muitos beijos prometidos e roubados,
De amores por inteiro e aos bocados,
Que são hoje os “Pinta-amores” esquecidos nessas portas.”


Obrigada, Gil.

7 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Uma zona que conheço tão bem!

Pedro Coimbra disse...

Demasiado rabiscado

Miss Smile disse...

Despojos de declarações, palpitações e desencontros, todos entrelaçados no mesmo desejo de eternidade.

Ricardo Santos disse...

Parece-me uma excelente foto !

heretico disse...

amores gastos...
que o tempo é cruel, por vezes...

Rui Espírito Santo disse...

ahah... Isto não é verdadeiramente uma "declaração de amor" ! ... Eu diria que é mais um "bacanal", como "tudo ao monte" e aproveite quem quer ! rsrs

jorge esteves disse...

Uma belíssima imagem!...
Parabéns!

jorgesteves
www.tintapermanente.pt