domingo, 31 de maio de 2015

# 77



Fotografado em Lisboa, em 22-05-2015.

Este é mais um pinta-amor captado pelo Jorge Queirós de quem reproduzo aqui as palavras:

“Hoje é enésima vez que penso se deveria enviar o contributo, uma vez que para a vida ser arte só precisamos de gostar de nós, sem depender de terceiros, independentemente da forma como gostamos de alguém e da reciprocidade que o sentimento pode ou não gerar. Mas como estava a pensar demasiado, decidi enviar. E fiz muito bem”


Fez sim senhor.

4 comentários:

lis disse...

A cada 'pinta-amores' que vejo mais me surpreende o que rola nas cabeças pensantes do povo... :))
O anterior tem aquela ironiazinha pra cima de brasileiro _ é normal essa briga histórica que o des(acordo) ortográfico só estimula tirando as letrinhas mudas que os portugueses tanto usam .
A vida é Arte ,independente de quem possa faltar... ao encontro rsrs
Gosto muito Luisa desse blog.
abraços

Pedro Coimbra disse...

Pura arte.
Este é bestial.
Boa semana

Pedro Coimbra disse...

Pura arte.
Este é bestial.
Boa semana

heretico disse...

há sempre um pequeno nada de imperfeito na obra de arte!
mas aqui o "pormenor" em falta é a própria condição de beleza.