quinta-feira, 29 de setembro de 2016

terça-feira, 27 de setembro de 2016

# 187


Fotografado em Tavira, na ponte sobre o rio Gilão, em 2 de setembro 2016.

Estou aqui indecisa se lhe chamo "pinta-amor" ou "ponte-amor". É que a dita ponte está a ficar carregada de cadeados que selam amores de todas as partes do mundo.

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

# 186


Fotografado na Boa-Hora (Ajuda), em Lisboa, em 26 de setembro 2016, pela Raquel da Franca, que, mais uma vez, se lembrou dos pinta-amores e nos enviou esta parede cheia daquilo a que chamou "grava-amores".



sábado, 24 de setembro de 2016

# 185


Fotografado na Marinha Grande, em setembro 2016, pela Flor de Jasmim.

Apesar de riscado, está bem identificado.

terça-feira, 20 de setembro de 2016

# 184


Fotografado em Faro, 15 de setembro 2016.

Ou muito me engano ou o calceteiro estava apaixonado.

sábado, 17 de setembro de 2016

# 183


Este é o pinta-amor da Teté, do blogue Quiproquó. Não é anónimo como os que costumamos mostrar neste mural e tem uma história que não precisamos de inventar.


Obrigada, Teté, por deixares que o traga para aqui.  

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

# 182


Fotografado em Faro, 14 de  setembro 2016.

Que o amor é louco, sabemos da canção. Mas essa é um loucura boa.

Já este, dramaticamente inscrito na parede, parece um amor muito perturbado.

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

# 181


Fotografado em setembro 2016, na Marinha Grande.

É mais um contributo da Flor de Jasmim, sempre incansável na descoberta de pinta-amores. Este parece-me alegre. Será do cenário colorido e soalheiro? Ou será porque não há como não gostar de um cordeiro?

sábado, 10 de setembro de 2016

# 180


Fotografado em Almada, hoje, 10 setembro 2016.

A Raquel da Franca que o captou diz que provavelmente "à bruta" é uma outra forma de dizer perdidamente, ou então "bués".

Com mais ou menos poesia, eu acho que está brutal.



quarta-feira, 7 de setembro de 2016

# 179


Fotografado em setembro 2016, em Vila do Bispo.

Um coração assim, tremendo, é coisa de pinta-amor nervoso...

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

# 178


Fotografado em Aveiro, em agosto 2016, pela Janita. 
Lá no Cantinho dela, convocou-se o amor, o mar e a poesia de Eugénio de Andrade.

Aqui, no pinta-amores, neste estranho mural de declarações amorosas, eu que também gosto de "surrealizar", diria que "Ceci n'est pas une chaise". E não é mesmo. Isto é para se ler, não é para se sentar. 

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

# [Fora de série]


Afinal havia ostra, pensava ela quando descobriu a verdade...

Esta ostra amorosa foi "roubada" com a devida autorização à Susana Miguel.

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

domingo, 28 de agosto de 2016

# 176


Fotografado no Porto, metro do Bolhão.

É mais um, que digo eu? mais que muitos pinta-amores, da coleção oferecida pela Deep, do blogue letras são papéis.

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

# 175


Fotografado na praia do Labrego, Vagos, pela Ava Pain, em 24 de agosto 2016.

E vale a pena ir até ao seu Diário de uma dor de cabeça para ver as fotos que, lá,  fazem companhia a esta.

terça-feira, 23 de agosto de 2016

# 174


Fotografado em Faro, em junho 2016, na parede do restaurante com o mesmo nome.

Amor poliglota, como seria de esperar numa cidade turística.

domingo, 21 de agosto de 2016

# [Fora de série]


Continuamos pelo Brasil, de onde o Toninho, do blogue Mineirinho, nos envia esta planta que, segundo ele nos diz, se chama "coração magoado" e que foi fotografada em maio 2016 no jardim de um seu amigo, em Salvador.
A foto traz também legenda. O Toninho diz que "O coração está roxo por vontade de amar".

Afinal, o amor pode ter todas as cores.

sábado, 20 de agosto de 2016

# 173


Em tempo de praia, há pinta-amores efémeros, como este que a chica nos envia de Maceió-Alagoas, Brasil.

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

domingo, 14 de agosto de 2016

sábado, 13 de agosto de 2016

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

# 168


Fotografado em julho 2016, na Marinha Grande.

O suporte não será lá muito romântico mas a mensagem está apregoada “alto e bom som” e segundo relata a Flor de Jasmim, que enviou esta fotografia para o “Pinta-amores”, está reproduzida em todos os caixotes que ela encontrou numa distância de mais de 3 km.

O que a mim me intriga é a sigla. Será quem assina? Será a quem se destina? Será publicidade?

Procurei a ajuda do Google e ele devolveu-me resultados tão distintos como uma fibra de antena, uma instituição de ensino australiana e um campo de treino espiritual e religioso na América e ainda um código aeroportuário.

domingo, 7 de agosto de 2016

quarta-feira, 20 de julho de 2016

# [Fora de série]


Diz-nos o Assis Coelho que encontrou este cato amoroso e picante no Jardín de Cactus em Lanzarote, onde há mais de mil espécies de catos de todo o mundo.

Pois é um lindo exemplar que, para aqui, bem podia ser chamado de "pica-amor".

segunda-feira, 18 de julho de 2016

# 166


Fotografado em Sintra, em julho 2016.

Um bom dia amoroso captado pela Vanessa Emídio que o ofereceu ao Pinta-amores.

domingo, 17 de julho de 2016

# 165


Fotografado num beco da Marinha Grande, em julho 2016.

Um novo contributo da Flor de Jasmim que está sempre atenta aos pinta-amores.

quinta-feira, 14 de julho de 2016

# 164


Fotografado em Salvador, no Brasil, no dia 10 de Julho 2016 pelo António Reis, o  Toninho do blogue Mineirinho.

A legenda para esta porta de um depósito é do autor da foto e vem com sotaque brasileiro:
Amor não se estoca, deve espalhar-se por todos os cantos e recantos e que o estoque nunca  finde”.


O que posso dizer é que este almoxarifado está mesmo bem caçado. 

terça-feira, 12 de julho de 2016

# 163


Fotografado num jardim de Braga, em 8 de julho 2016.
Foi enviado pelo Rui Espírito Santo, do blog Coisas da Fonte, dizendo que talvez se tratasse de um pinta-amor demasiado atrevido para este mural.
Talvez, sim.

É por isso que deixo aqui o aviso. Este post publica-se com bolinha vermelha no canto superior direito e sua visualização é da exclusiva responsabilidade de cada visitante.

domingo, 10 de julho de 2016

# [Fora de série]


Preparo uma salada de tomate e o corte revela-me isto. Estou a ser perseguida por corações.
[O tomate foi colhido na horta do meu pai... Só podia ser um tomate amoroso.]

quinta-feira, 7 de julho de 2016

quarta-feira, 6 de julho de 2016

# 161


A chica, que nos acompanha a partir do Brasil e é uma entusiasta dos pinta-amores, resolveu pôr mãos à obra e criar esta pequena instalação alusiva à série de mensagens de amor, desenhadas ou esculpidas por aí, que compõem esta coleção. E asssim, cá está um coração de chinelos que, conta-nos ela, fez em fim de férias com a sua neta.
Nós, por cá, agradecemos a lembrança.  

segunda-feira, 4 de julho de 2016

sábado, 2 de julho de 2016

quarta-feira, 29 de junho de 2016

# 159


Fotografado na Figueira da Foz, em 2016.

Este é oferecido ao Pinta-amores pela  Carla Pinto Coelho, autora dos blogues Uma Rapariga Simples, Cais das Letras e Fotograficamente. E agora também autora do livro “Um amor morto” para cuja publicação podemos contribuir nesta plataforma de Crowfunding.
Eu acho que vale a pena.

Tal como deve ter valido a pena fugir com quem escreveu a mensagem da fotografia.

domingo, 26 de junho de 2016

# 158


Fotografado em Castelo-Branco. É mais um da série oferecida pela Deep, do Letras são papéis.

Não tem como enganar. A seta aponta inequivocamente para o destinatário da mensagem.

quarta-feira, 22 de junho de 2016

# 157


Fotografado em Benfica, Lisboa, no dia 21 de junho 2016 e enviado ao Pinta-amores pela Isabel Mouzinho do blogue Isto e Aquilo  a quem muito agradeço por mais este contributo.

E que acham os leitores desta mensagem? Será mesmo amor?


terça-feira, 21 de junho de 2016

# 156


Fotografado em Armação de Pera, 5 junho 2016.

Dizem que roxo é amor frouxo... Será?

domingo, 19 de junho de 2016

# 155


Fotografado em junho na praia da Falésia, Albufeira.

Já que é domingo, achei que Jesus podia ser para aqui chamado.

sábado, 18 de junho de 2016

quinta-feira, 16 de junho de 2016

# 154


Fotografado numa parede do Porto.

Este vem do autêntico “carregamento” de pinta-amores que trago do blogue da Deep. No seu "letras são papéis", ela deixou-me uma coleção invejável de pinta-amores e de [fora de série].


Nem sei que diga. E o que tenho a dizer, vou dizê-lo alto e bom som: OBRIGADA Deep!

terça-feira, 14 de junho de 2016

# 153


Fotografado em Amesterdão, em junho 2016.

Os pinta-amores estão a internacionalizar-se. Este chega-nos de viagem, com Isabel Mouzinho que mantém os blogues Isto e Aquilo e Há-des cá vir, para além de integrar o elenco de autores do Delito de Opinião.


Lá está… Love is everywhere.

sábado, 11 de junho de 2016

# 152


Fotografado em Lisboa, metro dos Restauradores, em 9 junho 2016.

Como resistir ao elogio?

terça-feira, 7 de junho de 2016

# 151


Fotografado em Braga, em junho 2016.

Verdadeira poesia de parede que nos é dada a ler pela MariaEu.  

segunda-feira, 6 de junho de 2016

# 150


Fotografado em Aveiro, a 5 de junho 2016.

Uma ternura de pinta-amor, captado pela Ava Pain, durante um passeio reportado no seu Diário de uma dor de cabeça.

domingo, 5 de junho de 2016

# 149


Fotografado em Faro, a 3 de junho 2016.

A certeza do amor deixou-a feliz. Tanto que foi preciso extravasar o sentimento na parede.

quinta-feira, 2 de junho de 2016

# [Fora de série]



Aconteceu mesmo. Não é Photoshop. Tenho testemunhas. Foi comprovado por colegas de trabalho. Esta é uma fatia do bolo que a Sónia fez para os filhos no Dia da Criança. E ela desvenda qual foi o ingrediente secreto:

Quando tens a certeza que colocaste o ingrediente #amor no bolo que fizeste para os teus filhos levarem para a escola no Dia da Criança…”

segunda-feira, 30 de maio de 2016

# 148


Fotografado em Torres Novas, em maio 2016.

Este, pedi-o à Isabel Pires do blogue "nascer na praia" que, de pronto, autorizou a que o afixasse por aqui.


quinta-feira, 26 de maio de 2016

# 146



Há quem pinte e há quem brinque. Foi o que a Chica fez, em Porto Alegre, no Brasil,  com um montinho de folhas caídas no chão, especialmente para os pinta-amores.  Claro que é um amor de folhas efémero que se vai desfazer à primeira brisa. Por isso o aprisionamos aqui, para sempre, nesta coleção.


Obrigada Chica, pela lembrança.