domingo, 28 de junho de 2015

# 88


Fotografado em Moscavide, na rua Almirante Gago Coutinho, em junho 2015.

Obrigada, mais uma vez, à Raquel da Franca que nos envia este pinta-amor dizendo que não conseguiu esclarecer quem é, aqui, o Urso. 

Será aquele que ama ou será o ser amado?


segunda-feira, 22 de junho de 2015

# 87


Fotografado em Lisboa, na rua Cidade de Bissau.


Aqui está um amor sofrido. Não resisti a pedi-lo ao Pedro Correia do “Delito de Opinião”, que lá mantém (só agora descobri) a rubrica “Romance de parede” em total afinidade com estes “pinta-amores”.

domingo, 21 de junho de 2015

# 86


Fotografado em Lisboa, Jardim de S. Pedro de Alcântara, em 25-04-2015.

sexta-feira, 19 de junho de 2015

# 85


Fotografado em Lisboa, na rua Pinto Ribeiro, em  17-06-2015.


Novo contributo da Raquel da Franca a quem agradeço. Como ela nos diz, este pinta-amor está bem identificado, com nome e apelido. 

É o que se pode chamar de declaração sem sombra de dúvida. 

terça-feira, 16 de junho de 2015

# 84


Fotografado em Vilamoura, na Avenida da Praia da Falésia, em 21-03-2015.


Este é o pinta-amor “três em um”. Com sotaque do Brasil, em três postes de iluminação pública, assim de seguida, um atrás do outro. Uma verdadeira declaração de rajada.

segunda-feira, 15 de junho de 2015

# 83


Fotografado em Loulé, em 06-06-2015.

O reboco de cimento ainda estava fresco. Gravar ali o amor tornou-se irresistível.

quarta-feira, 10 de junho de 2015

# 82


Fotografado num ponto de reciclagem, em Belém, Lisboa, em 2014.
Este é mais um contributo da Paula Caetano.


E, respondendo à pergunta: de quem eu gosto, nem às paredes confesso…

sexta-feira, 5 de junho de 2015

# 80


Fotografado no castelo de Montemor, em 2008.

Desta vez é desamor que aqui se traz. Mais uma colaboração de Luís Rodrigues que situa este escrito uma versão de após-amor.


quarta-feira, 3 de junho de 2015

# 79


Fotografado em Lisboa, em 30-05-2015.

A Maria Morgado descobriu-nos mais pinta-amor. Como ela refere, a expressão “para ti” é, por si só, uma declaração de amor.

Também acho.

terça-feira, 2 de junho de 2015

# 78


Fotografado no Funchal, em maio 2013.

Este é um contributo da Paula Caetano que nos confessa que os pinta-amores a fazem sorrir e espera que a nós também.


Fazem sim. E sorrir faz-nos felizes.