sexta-feira, 3 de abril de 2015

# 55

simplesmente... amor! 
 
(...) Ó ferreiro guarda a filha
não a ponhas à janela,
que anda aí um rapazinho
que não tira os olhos dela (...)
(janela no rés-do-chão, em Monção)

5 comentários:

heretico disse...



é bom saber corações a palpitar assim...

Miss Smile disse...

Um amor platónico, consumido numa paixão encaixilhada de uma lembrança emoldurada.

luisa disse...

Vejo, nos seus traços finos, um amor delicado.

AFRODITE disse...


O Amor pode ser escrito em todas as línguas... ele tem até uma linguagem muito própria, bata um coração e já diz tudo!

Apontamento singelo... mas de certeza sentido.

(^^)

Majo disse...

~
~~~ E é

~~~~~ o bastante

~~~~~~~~ Para encher

~~~~~~~~~~~um coração

~~~~~~~~~~~~~~de felicidade...

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~