segunda-feira, 5 de setembro de 2016

# 178


Fotografado em Aveiro, em agosto 2016, pela Janita. 
Lá no Cantinho dela, convocou-se o amor, o mar e a poesia de Eugénio de Andrade.

Aqui, no pinta-amores, neste estranho mural de declarações amorosas, eu que também gosto de "surrealizar", diria que "Ceci n'est pas une chaise". E não é mesmo. Isto é para se ler, não é para se sentar. 

9 comentários:

Isabel Pires disse...

Tão linda, Luísa!
Amarela como eu gosto...

Flor de Jasmim disse...

Não me atrevia a sentar, é algo para se ver e não esconder.

Beijinho, boa semana.

✿ chica disse...

Adorei,muito lindo! bjs, chica

Ailime disse...

Magníficos amores por aqui!
Adorei!
Bjs,
Ailime

Toninho disse...

Que lindo Luisa.
Bela partilha.

Pedro Coimbra disse...

De um bom gosto extraordinário.
O meu favorito até agora.

Janita disse...

O Amor não se explica
pinta-se em qualquer lugar.
Até numa cadeirinha amarela
só para ninguém se sentar!

:)

A cadeirinha de Aveiro, ganhou uma nova vida, aqui, no teu Pinta-Amores, Luísa. :)

Um beijinho

Rui Espírito Santo disse...

eheheh... Um marinheiro apaixonado ?... ou alguém que gosta de amar no meio do mar, baloiçando ?... rsrsrs

Bjs, Luisa

Ana Freire disse...

Pura poesia... na forma de uma cadeira e de uma fotografia...
Adorei!!!!!! Fantástica partilha!
Beijinhos
Ana